Solidariedade com a população

B. e S. são irmãos. Por infortúnios da vida, foram, pela mão do CPCJ, retirados do lar, da Mãe. O regime que nos assombra há décadas, vê maior facilidade em institucionalizar duas crianças, do que em criar condições para que a família as possa acolher no seu seio. Decidiu o Tribunal de família, quando recebeu o pedido da Mãe para os receber em casa pelo Natal, que esta, só o poderia fazer se conseguisse comprovar que tinha/tem condições para tal. Não tinha. Ela não tinha. Felizmente, a educadora C., que cuida deles na Instituição que os acolhe, pediu ajuda: “haverá alguém que possa doar uma cama”? Não havia. Mas havia apenas 3 dias para que a cama aparecesse na casa da Mãe. A Instituição não podia de forma alguma envolver-se. “Vai contra as normas”.

A Habeas Corpus – Núcleo do Porto, assim que tomou conhecimento da situação e da sua urgência, rápida e prontamente, e de forma totalmente altruísta, se ofereceu para comprar uma cama e um colchão. Em menos de 8 horas, a educadora C. estava a informar que já tinha na conta o valor suficiente para a aquisição de ambos. 

Uma associação é isto! Um grupo de pessoas que se une em prol de uma causa justa. Uma associação que une pessoas, sob os princípios da Honestidade, da Verdade e da Coragem. Uma associação que não fica indiferente aos atropelos que o regime tem vindo a fazer à nossa Constituição, conduzindo famílias e negócios a um beco sem saída. 

Para quem comenta que  não fazemos mais do que manifestações barulhentas, aqui fica o relato de mais um episódio feliz, resultado da acção Habeas Corpus.

 
 

 

 

Fica também o convite, a todos os associados e simpatizantes desta Associação: olhem para o lado. Ajudem. Ajudem-se. Tragam para aqui mais episódios felizes. É tão fácil mudar o rumo de uma história, se continuarmos Unidos sob os mesmos princípios. 

A todos os que contribuíram, um especial agradecimento, aos que já não foram a tempo, a certeza de que mais causas irão surgir no caminho.

 

 HABEAS CORPUS – NÚCLEO DO PORTO (I.R.)